Wednesday, May 11, 2016

ROBERTO LUNA 1959-1960


Roberto Luna in his heyday as a popular recording singer in the 1950s. Luna built a reputation as a 'devil-may-care' young dude that sometimes got him in trouble. He was also famous for his 'mussed up' hair.  

from left to right: Elza Laranjeira is the 2nd standing in the back row; then comes band-leader Antonio Rago (tall and balding)... and that's about almost all I know... Roberto Luna is the fellow in the middle of the crouched gentlemen... and Mary Gonçalves is leaning on Roberto's shoulder and smiling at the camera. 


Weekly radio-industry magazine Revista do Radio issued on 9 January 1960, carries an article about Roberto Luna's indictment by Sao Paulo police accused of using cocaine. There was a rumour imputing Police had found 5 cigarette holders containing the above mentioned 'powder' at Luna's apartment but nothing has been proved in court yet. 

Roberto Luna is upbeat about his innocence and acuse some sections of the Police of bad-faith in relation to some members of the musical scene like young singer Agnaldo Rayol who had been cited by the Force of being a drug trafficker. 


Acusado injustamente de traficar maconha, Roberto Luna, ficha limpa na Policia

A reportagem da Revista do Radio, ouviu Roberto Luna, a propósito do caso policial que o envolveu em processo como viciado em cocaína, tendo até sido divulgado que encontraram em seu apartamento 5 piteiras contendo o citado ‘pozinho’. Sorridente, sem demonstrar a menor preocupação com as possíveis consequências do procedimento policial, Roberto Luna nos declarou:

- ‘Repito o que já disse: tudo não passou de simples ‘onda’, sem nenhum apoio na verdade dos fatos. Jamais fui dado ao consumo de cocaína ou outros entorpecentes, de modo que a acusação que me foi feita, infelizmente explorada com certo sensacionalismo, só pode ser atribuída como produto de confusão e nada mais.

As piteiras mencionadas nunca existiram em meu apartamento e delas tomei conhecimento pela leitura dos jornais. Acredito que esse ‘argumento’ foi arranjado para tentar me desmoralizar perante o público, não passando de mais um ardil para impressionar os incautos. Aliás, podem dizer pela Revista do Radio, que o processo, que já se encontra no Fôro, vai caminhando sem que nada, nas várias audiências realizadas, tenha sido provado contra mim, esperando por isso mesmo, poder dentro em breve, se Deus quiser, ficar inteiramente livre do caso, com a minha absolvição. Nada receio, pois confio na Justiça de meu País.
   
- Mais alguma coisa?

- Tenho a impressão de que a Polícia tomou ‘assinatura’ com o pessoal do Radio, como ainda recentemente aconteceu com o Agnaldo Rayol e Carmen Marinho, ambos vítimas de arbitrariedade policial que pretendia situar os colegas como traficantes de entorpecentes. Agnaldo e eu não somos disso. E Carmen muito menos. Felizmente, todos esses contratempos que surgiram na minha vida, nada influíram na minha carreira artística que abracei, pois continuo cada vez mais prestigiado pelo público brasileiro. Cumpro atualmente, com uma agência de publicidade, um dos melhores contratos que um artista pode desejar, devendo atuar em todas as capitais do Brasil e em 49 cidades do Interior de São Paulo.

E fazendo uma revelação:

- ‘Breve seguirei para Portugal, tendo ainda recebido vantajosa proposta para atuar na Venezuela durante do Carnaval. As direções do Canal 3 (TV Tupi) e Canal 7 (TV Record) me fizeram excelente proposta para eu ingressar numa dessas emissoras, assunto que resolverei após o meu regresso de Portugal. Como vêem, a infundada acusação da Polícia em nada afetou a minha atividade profissional, que, sem falsa modéstia, vai de vento em popa. 

2 comments: